Esquizofrenia Depressão Transtorno Bipolar do Humor
   
         Não existe uma definição de doença mental que seja universalmente aceita. Ao contrário do que geralmente se imagina, quase todas as definições não têm uma aplicação imediata no tratamento dos pacientes. Na prática, o que importa é saber se uma determinada pessoa apresenta, ou não, um padrão de comportamento reconhecido como indicativo de determinada doença e, a partir daí, se há uma modalidade de tratamento validado pela comunidade científica internacional. As famílias não devem ficar alheias à questão das definições, pois muitas vezes a inexistência de um conceito de doença mental universalmente aceito dá margem ao surgimento de algumas propostas radicais e infundadas que negam a existência da doença mental. Também não há uma definição universalmente aceita de saúde cardíaca, mas ninguém nega as doenças do coração.

        Os critérios de diagnóstico preconizados pela Organização Mundial de Saúde para se reconhecer uma determinada doença mental estão disponíveis para consulta. É com base nesses critérios que os médicos psiquiatras decidem se uma pessoa tem esquizofrenia, transtorno bipolar (psicose maníaco-depressiva), depressão, transtorno obsessivo-compulsivo, etc.

Página anteriorTopoPágina InicialPróxima página